quinta-feira, 27 de agosto de 2009

INDECISÃO

Ah indecisão!
Que me interpela
a toda hora.

Faz com que hoje não
deixe meu tempo
jogado fora.

No quando em que me perco
Por não saber onde ir
Na volta em que soberbo
Deixo-me resumir.

Num passo em que calado
Me faço escutar
Num braço em que amado
Possa sozinho ficar

No rastro de um ponteiro
Certeiro eu possa ser
Vazia a tempestade
No estio vou colher

Regresso na dança cigana
A gana de voltar
Em contundência se inflama
Meu solitário sonhar.

7 comentários:

Milton Lima disse... Responder comentário

Po Heitor. Bom pra kralho heim? Um veradeiro poeta conteporaneo. Surpreendendo sempre. Parabens. Abs..hehe

kellen disse... Responder comentário

Porque o Branquinho é assim !!
=-)

bjim...

Carol Freitas disse... Responder comentário

Bom...mto bom!

=)

Carol Freitas disse... Responder comentário

Bom...mto bom!

=)

clave disse... Responder comentário

BRANQUINHO,
TIVE QUE LER DIVERSAS VEZES!!!
MUUUUITO BOA!!!
COLOQUE UMA MÚSICA NELA!!!
TEM UM ESTILO CHICO BUARQUE NESTA POESIA..
PARABÉNS!!!

Paula Figueiredo Campos disse... Responder comentário

Ola Heitor! Adorei!!! Parabéns! Beijoos!

????????????????????????????????? disse... Responder comentário

Toca a vida e (en)canta
E às vezes, cisma de rimar
Mas ouça: interpelar não adianta
Tudo compõe sua alma a se expressar

Poema Pílula para Heitor Branquinho.
Abs
DU